sábado, 26 de novembro de 2011

O ESTADO DO VATICANO - 1. PREFÁCIO



Primeiro o pseudo “pastor” vem cheio de palavras lisonjas, como um escorpião, que vem abraçar para depois aferroar pelas costas. Dizia o “anjinho”: 
1.1 - “O catolicismo tem na sua grei e liderança de pessoas ilustres, cultas e dignas de bom relacionamento, que no entanto, devido à suas origens, foram orientadas numa só direção.”
 
– Resposta:
Isso mesmo, “pastor “, exatamente como manda Nosso Senhor Jesus Cristo: “Para que todos sejam um” (João 17,21), Um só Senhor, uma só fé, Um só batismo (Efésios 4,5-6).


1.2 - Mostrando péssimo conhecimento em matemática e no nome da Igreja, o embusteiro afirma que: 



“... no Brasil há ‘DUAS’ Igrejas em evidência, a ‘Católica Romana’ e as demais.” 



– Resposta:  Ora, desde quando 1 + “as demais” é igual a 2??? 



“As demais” que ele esconde, são quase 50 mil seitas, de proprietários diferentes, cada uma com a mesma bíblia de Lutero e vivendo doutrinas divergentes que eles “julgam” serem inspiração do Espírito Santo. 



Dizendo isso simplesmente estão pecando contra o Espírito Santo, que à luz da Bíblia tem um só parecer (At 15,8-9), e não suscita entre tantas aberrações “igrejas evangélicas gays“, como a “Acalanto” e a “Sinos de Belém”; de “descarrego”, como a “Universal” e dos que oram nas esquinas da rua, como a dita “assembléia de Deus” (Mt 6,5-6).




1.3 - A seguir ele astutamente alega: 



“O catolicismo estrutura-se em Ordens Religiosas sob a direção do Papa. As demais se apresentam em Denominações (alcunha), todas com uma só base: a Bíblia”

– Resposta: Aqui o astuto quis insinuar que só eles seguem a Bíblia (que o catolicismo montou, canonizou e difundiu), e o catolicismo não. Saiba o “pastor”, que as “Ordens Religiosas” são ministérios unidos da mesma e única Igreja de Cristo. Jesus ordenou ensinar todas as coisas que Ele mandou (Mt 28,20), e muitíssimo do que Ele fez NÃO ESTÁ contido na Bíblia, que se fosse conter TUDO, cobriria de livros a face da Terra e ainda assim não bastaria (Jo 21,25). Por isso nada resta aos protestantes (de 1517), que não sabem o que Cristo mandou, senão agarrar-se ao pouco que está na Bíblia. Ainda assim deturpam tudo e são rivais entre si (prova é não pagarem dízimo noutra seita). Pois a Igreja é MÃE da Bíblia, é elacoluna e firmeza da verdade.” (1Tim 3,15), não a Bíblia, diz a bíblia protestante.


1.4 - Em seguida, o “pastor” contraditoriamente sendo um dispersor da fé única, confessa que nos primeiros séculos houve 

“uma única comunidade Cristã”. E cita um versículo onde Cristo diz que estará no meio de dois ou três que se reúnem em seu nome. 

– Resposta: Não engane a si mesmo “pastor”! Cristo refere-se a “dois ou trêsque pertencessem à “comunidade única” que o “pastor” confessou, e não a quem promove dissensão, que o “pastor” chama astutamente de “denominação” ou seja, “alcunha”. 

Esses “não servem a Cristo” (Rm 16,17-18). E quanto ao seu citado versículo de (Mateus 28,20) “Eis que estarei convosco até a consumação dos séculos”. Vale apenas para os Católicos da fé única, ali presentes, visto que o protestantismo só foi fundado por Lutero no século XVI.


1.5 - O “pastor” afirma que:

“O Cristianismo teve continuidade com HOMENS VENERÁVEIS como Policarpo, discípulo do apóstolo João, Inácio, Papias, Justino, Irineu, Orígenes, Eusébio, João Crisóstomo, etc.” 

- Resposta: Não sabia o “pastor”, que são todos VENERÁVEIS CATÓLICOS. Para não gastar a munição vamos mostrar só o que disse um deles:”Onde estiver o bispo, esteja o povo, assim como onde está Jesus Cristo, está a Igreja Católica”. (Santo Inácio de Antioquia, Carta aos Esmirnenses, 8, ano 106 d.C.). 

Calma “pastor”, estamos só começando.


1.6 - A seguir, o enganador numa manobra ridícula, diz que Tertuliano teria “acusado” o “bispo Calisto” de querer ser “o bispo dos bispos”

– Resposta: O “bispo” Calisto I, citado pelo “pastor”, já era o 16º Papa (217-222), (Enc. Microsoft Encarta 99). E mais: Tertuliano, no livro “De pudicitia” (por volta do ano 220), escrito quando já ele caíra na heresia do montanismo, critica uma prerrogativa papal, mas, respeita o cargo superior, dizendo ter sido promulgado pelo “supremo pontífice, bispo dos bispos”. Nada se refere a “querer ser o bispo dos bispos”. Pura calúnia!

Ele tentou com essa escorregada, vender que os bispos não tinham um líder, mas veremos o que diz a Bíblia no Concílio de Jerusalém (At 15,7): “E, havendo grande discussão, levantou-se Pedro e disse-lhes: Irmãos, bem sabeis que já há muito tempo Deus me elegeu dentre vós, para que os gentios ouvissem da minha boca a palavra do evangelho e cressem”. Sempre que a Bíblia cita os apóstolos, Pedro é citado primeiro. Ponto final.


1.7 - À frente, o embusteiro calunia que: “A Igreja Cristã recebeu o nome de CATÓLICA no Concílio de Constantinopla, presidido pelo Imperador Teodósio no ano 381, com um decreto…”

- Resposta: PURA CALÚNIA! São Cipriano em 249, já dizia: “Estar em comunhão com o Papa é estar em comunhão com a Igreja Católica.” (Epist. 55, n.1, Hartel, 614); “E não há para os fiéis outra casa senão a Igreja Católica.” (Sobre a unidade da Igreja, cap.4). Já o Concílio de Constantinopla (381), foi presidido por Timóteo de Alexandria, Melétio de Antioquia, Gregório Nanziano e Nectário de Constantinopla, para debater sobre a Trindade. Jamais por Teodósio. (Enciclopédia Microsoft Encarta 99).

- Agora vamos dar uma aula ao “pastor”, usando o livro de História do Cursinho Objetivo, temos:

“Em 313, Constantino baixou o Edito de Milão, proibindo as perseguições aos cristãos e dando-lhes liberdade de culto. A partir de então, a difusão do cristianismo ganhou um impulso ainda maior: em 390, o imperador Teodósio proibiu o culto pagão e OFICIALIZOU o Cristianismo.”.


Como vemos, nada se refere a colocação da palavra “CATÓLICA”, e sim a oficialização desta fé no Império. E ela é APOSTÓLICA sim, pois acima, esse mesmo “pastor” afirmou que: “O cristianismo teve continuidade com Policarpo, discípulo do apóstolo João, Inácio, Papias, Justino, Irineu, Orígenes, Eusébio, João Crisóstomo e tantos outros.” – Pois, todos os citados pertenceram a Igreja Católica.



1.8 – Em seguida, ele mesmo assumindo a ignorância, declara: “não sabemos como ela pode ser UNIVERSAL e ROMANA ao mesmo tempo”.

- Resposta: Ora “pastor”, se não sabe é bom que não ensine, aprenda: Ela é UNIVERSAL e ROMANA, da mesma forma que Jesus Cristo é CELESTIAL e NAZARENO, aprendeu? A Igreja é CATÓLICA porque é para todos; é APOSTÓLICA porque veio dos apóstolos; e é ROMANA porque tem sua sede fundada por S. Pedro em Roma. Escreveu S. Paulo aos Romanos: “… Primeiramente, dou graças a Deus por Jesus Cristo, acerca de vós todos, porque em todo o mundo é anunciada a vossa fé” (Rm 1,7-8), Eis a fé de Cristo. Se o “pastor” é contra os romanos, “Deus é por nós” (Carta aos Romanos 8,31).



1.9 - Caluniava o embusteiro: “Ainda não havia ‘papa’, mas, nos fins do século IV as Igrejas viram-se dominadas por cinco “patriarcas … os bispos de Antioquia, Jerusalém, Constantinopla, Alexandria e de Roma”. 

– Resposta: PURA CALÚNIA! A exceção de Constantinopla, que foi fundada por Constantino no séc IV, as outras localidades tinham seus bispos em comunhão com o Papa de Roma, que já existia sim. Veja estes testemunhos de S. Cipriano em 249, dizia: “Estar em comunhão com o Papa é estar em comunhão com a Igreja Católica.” (Epist. 55, n.1, Hartel, 614); “E não há para os fiéis outra casa senão a Igreja Católica.” (Sobre a unidade da Igreja, cap. 4); “Roma é a matriz e o trono da Igreja Católica.” (Epist. 48, n.3, Hartel, 607). Veja que sempre houve o líder dos bispos, dizia S. João Crisóstomo (ano 350) “…Se alguém perguntar ‘Por que então foi Santiago quem recebeu a Sé de Jerusalém?’, eu lhe responderia que Pedro foi constituído mestre não de uma Sé, mas do mundo todo.” (Homilia 88 (87) in Joannem, I. Cf. Orígenes, “In epis. Ad Rom.”, 5, 10; Efrén de Siria “Humn. In B. Petr.”, en “Bibl.Orient. Assemani”, 1, 95). Na Enciclopédia Compacta da revista “Isto é”, pág. 259, tópico Igreja Católica, lemos: “Roma foi a única Igreja ocidental fundada por um apóstolo (São Pedro). Da Irlanda aos Cárpatos, os cristãos passaram a reconhecer o bispo de Roma como o Papa (do latim vulgar papa, “pai”).


1.10 – Escorregava ainda o velhaco “pastor”, dizendo: “Houve porfia entre Constantinopla e Roma sobre a liderança do Cristianismo, mas o Concílio de Calcedônia, no ano 451 interveio concedendo igualdade entre os bispos …”

- Resposta: PURA CALÚNIA! O Concílio de Calcedônia, não tratou disto. Foi convocado por ORDEM do já 45º Papa Leão I (440-461), para condenar o eutiquianismo, de uma seita herética que pregava que Cristo tinha uma só natureza. (Enc. Microsoft Encarta 99).


1.11 - Fantasiava ele que, o papado “foi sustentado pelo Império Romano”, que “não teve data de nascimento”, que “não foi instituído por Cristo nem pelas Igrejas, é intruso no Cristianismo e não se enquadra na Bíblia”.

PURA CALÚNIA!

- Resposta: até parece que ele fala do protestantismo, que foi inventado em 1517, pelo alcoólatra Lutero. Veja sua malícia ao falar “instituído pelas Igrejas” quando Cristo só fundou uma. Todos sabemos que o papado é a sucessão legítima dos apóstolos de Cristo, aprenda com Santo Irineu (180), venerável do “pastor”, que registrou em sua obra: “Depois de terem fundado e estabelecido a Igreja de Roma, os bem-aventurados apóstolos Pedro e Paulo confiaram-na à administração de Lino, de quem fala São Paulo na Carta a Timóteo (2 Tm 4,21). Sucedeu-lhe Anacleto …” (Contra as Heresias 3,3,2) – Tem mais “pastor”, veja a “Carta da Igreja Romana às Igrejas de Corinto”, do 3º Papa, citado por São Paulo em (Filipenses 4,3), nessa Carta, São Clemente (+102) afirma: “os apóstolos provaram no espírito as suas primícias (…) Estabeleceram esta regra: que após a morte deles homens provados haveriam de suceder-lhe no ministério.” (Um santo para cada dia, M. Sgarbossa – L. Giovannini, pág 304, Ed. Paulus). Eis o início do papado, encontrado nos escritos cristãos do séc II ao VI : “Pedro, Lino, Anacleto, Clemente I, Evaristo, Alexandre I, Sisto I, Telésforo”, etc. (Contra as Heresias, ano 180), (Líber Pontificalis, séc VI).



1.12 – Adiante, fantasia o embusteiro que o papado “é identificado na Bíblia como ‘Ponta Pequena’ (Dan 7,8)”.



ALEXANDRE MAGNO

- Resposta: (Dan 7,7-8): refere-se ao império de Alexandre; as dez pontas são seus “dez reis” (Dan 7,24); a ponta menor, que abaterá três, foi o rei Antíoco IV Epífanes, que se originou desses reis (1Macabeus 1,11) e cumpriu todas as profecias (1Macabeus 1, 24-40). Os livros de Macabeus estão nas Bíblias Católicas, de Gutemberg e Ortodoxas. Os protestantes depois de 1517 arrancaram estes livros de suas bíblias. Daí a hilária cegueira deles.
'
'
'
'





Voltar ao: Índice Estado do...
Autor - Fernando Nascimento
Veja o Índice das Mentiras em GOOGLE+
Acesse também:


Postar um comentário

Compartilhar

 
  •  
    Ocorreu um erro neste gadget

    FAZER PEDIDO AQUI

    MAIS OUTRA NOVIDADE!
    Já está em andamento o segundo volume do
    NDICE DAS MENTIRAS CONTRA A IGREJA CATÓLICA"

    ROLE O BANNER E CLIQUE NO ASSUNTO DESEJADO

    >
    > >